terça-feira, 16 de setembro de 2008

O TEMPO PASSA PARA TODOS.

Brincávamos juntos.
Nossa diferença de idade não é tão grande.
Sou apenas três meses mais velha que o Zé Carlos. O primeiro da direita. Na sequência vem Dominguinhos, Joaquim Antonio e Luis Carlos. no sentido direita para esquerda.
Eles eram uma verdadeira escadinha. Com pouca diferença de idade.
São irmãos. E meus sobrinhos.
Bem, crescemos juntos, brincamos, brigamos, enfim, tudo o que crianças, juntos fazem.
Quando pequena, nas minhas brincadeiras, o Joaquim Antonio era sempre o meu filho. Tinha um carinho todo especial por ele.
Fomos para a escola na mesma época. Os protegi, como uma irmã mais velha, não como uma tia, que aliás, eles nunca me chamaram assim. Sou simplesmente a Ana.
São filhos de meu irmão mais velho.
Minha cunhada, uma mulher forte, fez desses meninos grandes homens, embora a altura física não seja das maiores.
Meu irmão, tomou outro caminho, tem uma outra família.
Com ela, sempre tive e tenho uma relação não de cunhadas, mas uma relação de carinho e afeto.
Ela foi também minha mãe de leite.
Quando pequena, minha mãe saía cedo para trabalhar na lavoura, e eu ficava com eles. Como o Zé CArlos era pequenino, ela amamentava nós dois.
Logo dá para entender o vínculo que ficou entre nós né?
Sei que todo carinho que sinto por ela, é recíproco.
E hoje, olho para esses meninos, com netos, mais que eu, aliás. Com excessão do Luis, todos são avós, e sinto o mesmo carinho, o mesmo afeto de mãe. Só consigo ve-los assim, como os meninos que ví crescer.
Essa semana, olhando o orkut da minha sobrinha, filha do Joaquim, ví esta foto. Não pensei duas vezes, surrupiei, e as lembranças voltaram.
Estão aí minhas lembranças.


Querem ler um bom texto?
Clique aqui.
Não sei qual será a reação de vocês, afinal cada um entende, reage de uma maneira. Eu posso garantir que enquanto lia, fiquei arrepiada e com um nó na garganta, tamanha emoção que o texto me passou.
Mas vão lá conferir.
Vale a pena.

13 comentários:

Claudio Costa disse...

Aninha: sim, o tempo passa para todos. Identifiquei-me com o que vc escreveu e com a foto, pois meus amigos e primos já estão ficando de cabelos brancos, que coisa!

Tina disse...

Oi Aninha!

Existem coisas que não tem preço: essa é uma delas; com certeza!

beijos querida, lindo dia.

Luci Lacey disse...

Aninha

E tao bom recordarmos bons momentos.

Fui avo primeiro para depois ser tia.

Aninha, li o intruso e fiquei pasma com a capacidade de expressar sentimentos da Janaina.

Beijinhos

Luci Lacey disse...

Aninha

Tambem postei o texto de Janaina, confesso que mexeu comigo, vou compartilhar tambem.

Beijinhos e obrigada

Yvonne disse...

Aninha, o que é que nós levamos da vida? Histórias bobas como essa que não farão parte de nenhum livro de História, mas que são muito especiais para nós que a vivenciamos. Beijocas

Márcia(clarinha) disse...

Que deliciosas lembranças, isso é para sempre, o carinho e a dedicação de outrora firmam amizade que jamais serão esquecidas.
Linda família sua Anninhamadinha.

lindos dias querida
beijos de amor

Magui disse...

Adorei a foto.Todos alegres e cheios de vida.O texto é uma homenagem, isso sim.Qt ao texto que vc indicou , não entendi patavina...

Aninha Pontes disse...

Pois é Cláudio, quando olhamos e vemos as "crianças" de cabelos brancos, percebemos nossa real situação.
Um beijo

Tina:
As recordações são algo que nos faz viver o hoje, o presente.
Um beijo querida.

Luci querida:
Eu sou a caçula, e portanto crescemos juntos, uma porção de sobrinhos, comigo.
Sabia que vc iria gostar do texto da Janaína.
Um beijo.

Luci
Legal que postou.
Beijos

Yvone querida:
E dessa nós duas temos de montão né?
Muita história para contar.
Beijos

Marcinha:
E tenho tantas dessa né?
Amo você.
Beijos de todos.

Magui:
São pessoas muito queridas prá mim.
Lembranças que gosto de ter.
O texto é sobre o ciúmes de uma criança que não quer um irmãozinho.
Beijos.

Adelino disse...

Ana, quando somos os mais novos da família, geralmente acontecem essas coisas bem agradáveis: termos sobrinhos com muito pouca diferença de idade da nossa. Comigo também acontece isso. Sou tio-avô, quase tio-bisavô, se bem que quase está na época...
Meus parabéns pela família.
Beijo.

elisabete cunha disse...

Aninha

Que prazer enorme te receber em nossa casa!

A sua casa é linda!!!

é linda, o tempo passa para todos...e isso é o bom!

beijo

Maria Augusta disse...

Acho tão bonito estas grandes famílias, onde os tios, os sobrinhos, os irmãos crescem juntos, criando elos que vão durar para a vida toda. Pena que atualmente isto esta cada vez mais raro, e as pessoas cada vez mais isoladas. Gostei de conhecer mais pessoas de tua família, Aninha.
Um grande beijo e um bom final de semana.

Rosamaria disse...

Que legal! Mas tu pareces uma menina perto deles!

Bjim.

Rosamaria disse...

Menina, arrepiei com o texto da Janaína! Emoção pura!
Bjim.