segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

VIDA DIFÍCIL!

Márcia tem um bebè com oito meses.
Assim que acabou sua licença maternidade, voltou a trabalhar. Bancária há algum tempo , não pode se dar ao luxo de ficar em casa, como queria, e criar seu pequenino.

Contratou Luzinete. Já a conhece, e sabe que pode deixar o filho, que será bem cuidado.

Luzinete, por sua vez, tem três pequeninos. João de sete, Pedro de seis e Sofia de três.
Também não pode se dar ao luxo de desprezar o salário mínimo que recebe de Márcia.
O problema é que os dois meninos, já não têm direito à creche.

Agora em período de férias escolares, não sabe mais o que fazer, para deixar os meninos, enquanto cuida do bebê de sua patroa.

Na época de aulas, são só alguma horas, em que ficam sózinhos. Não chega muito tarde. Mas agora, cada dia uma pessoa diferente cuida de seus meninos.
Não sabe mais o que fazer, pois esta semana, tia Cida já não fez cara boa, ao pedir para que João ficasse com ela.

Gostaria de poder cuidar de seus meninos, com o mesmo carinho que cuida do bebê de Márcia, mas a situação não está nada boa. Precisa trabalhar, os meninos estão precisando de roupas, e o dinheiro do pai, só dá para a alimentação.
Meninos não precisam só comer.

Se ao menos a prefeitura tivesse um programa para atender essa necessidades das mães que precisam trabalhar. Não dá para deixar duas crianças assim tão pequenas sózinhas. É muito perigoso.

Chega à conclusão, que pobre tem mesmo é que danar.
Recebe para não deixar uma criança sózinha, mas não são as suas.

Afinal as oportunidades e facilidades nunca foram iguais para todos.

Continua fazendo de conta que não percebe a cara feia das pessoas que ficam com seus filhos. Um dia isso vai passar. Eles vão crescer, e quem sabe terão uma vida um pouquinho mais fácil que a sua.

13 comentários:

Meire disse...

Muito triste a situaçao dela,e sabemos que isso é muito comum, crianças crescendo sem seus pais, sem orientaçao e o futuro delas?...muito triste.
Bjs

Fernanda disse...

Ah, também houve mudança por aqui, Aninha! Ficou bonito!

Se houvesse mais solidariedade entre as pessoas o problema dessa mãe seria amenizado, não é? Porque fazer cara feia? Ainda mais sendo família? Não compreendo isso; que falta de amor. O meu sobrinho vem para minha casa todos os dias, depois da escola. Causa-me transtorno? Algum, mas nem sequer toco nesse ponto, porque quero ajudar a minha irmã e o meu sobrinho. Família é também para isso.

Beijinhos

sonia a. mascaro disse...

Aninha,
Você mostrou um problema tão grave e tão comum... Como é difícil ser mãe sem ter as condições necessárias e justas para criar seus filhos...

Fiquei contente com sua visita! Sabe que estamos em sincronicidade? Nesta semana pensei em vocês. Abraços para você, Valter e filhos.

sonia a. mascaro disse...

Ah! Abraços também para o neto!

Magui disse...

Creches, licença maternidade, escola integral é uma luta e uma conquista comunitárias. Quando a pessoa se acomoda e não luta por seus direitos o resultado é a inércia de ambas as partes.

Luma Rosa disse...

Um situação bastante complicada, já que o Estado também não cumpre a sua parte e as creches públicas tem poucas vagas disponíveis. Se a família não pode ajudar, a quem recorrer? Só Deus!!

Este é um exemplo de várias histórias de vida com problemas iguais. E se mães se unissem e dividissem uma pessoa para cuidar de seus filhos?

Bom fim de semana! Beijus,

Kith disse...

Isso só acontece em países nos quais os governos só se preocupam em encher os próprios bolsos...
Pena que o Brasil seja ainda tão incivilizado!

Rosamaria disse...

Oi, cosquirídia! Bom te ver de volta!

Isso é mais comum do que se pensa, Aninha. Quando a família ajuda ainda não é nada e uma tia Cida tem em todas, Quem precisa tem que aguentar cara feia, o que fazer se o governo não dá assistência.
Bjim.

Georgia disse...

Aninha, pensei que vc nao fosse mais voltar.

Que bom que estas de volta e com uma experiência de vida.

Dóis esse tipo de coisa. Vi muito disso quando estivemos no Brasil o ano passado.

Parece que pobre nao tem direito de ter filhos? Parece.

Infelizmente, hoje em dia temos que pensar e muito na hora de ter um filho. Tenho um irmao que tem 3 filhos, de todos nós, 4 filhos da minha mae, ele é o único que nao deveria ter tido nenhum e foi o que mais teve. Toda a família o ajuda há anos e ele mesmo assim nao sai do buraco onde se enfiou.

Quem ajuda, chega num momneto que tb nao quer mais, há sempre 2 lados numa história. Acho tb e vou ser do contra por aqui, mas com muita coragem para falar. Infelizmente tem muita gente engravidando e se enchendo de filhos e que deveria ter somente um filho. Mas infelizmente, muita gente esquece de tomar a pílula, por ter trabalho em se lembrar ou por nao ter dinheiro, ou por nao ter se inscrito num posto médico para receber as pílulas gratuitamente, porque precisa ir ao posto todo mês para buscá-la e buscar dá trabalho, essas coisas que a gente sabe que existe e que acontece. No final se enche de filhos, o cara dá o fora ou tb nao consegue trabalho, xiiiiiiiiiiii, sao tantas histórias...problemas gerando problemas. Hoje em dia as famílias nao querem ter trabalho Aninha. As pessoas como a tia dela tb quer viver a vida dela e nao ser babá de filhos dos outros mesmo que os filhos dos outros seja da sobrinha. Conselho ninguém quer quando a gente diz: Cuidado, nao se deixa engravidar...

xiiiiii, melhor parar por aqui.

Bjao

Anônimo disse...

Aninha,

infelizmente, esse é o retrato do país.
Há pessoas que não podem contar com quase nada. Outras, muitas, nem isso.

Maravilha você ter voltado! Beijos a você, ao Valter, a todos.
A amiga
Vivina

http://graceolsson.com/blog disse...

ANINHA,

que bom qwue vc voltou. E falando das diferencas graves que, bem poderiam ser amenizadas.
bjs e dis felizes

Camille disse...

Aninha, voce esta ficando uma escritora e tanto! Falar da vida com tanta simplicidade e realidade, do jeito que ela é , tem gente que passa anos estudando. Voce faz assim, na boa. Que historia mais repetitida desse Brasil. E nao so daqui. La fora somos nos latinos em geral que deixamos nossos filhos e vamos cuidaar dos filhos dos outros. Tem muita gente que sai do Brasil em busca de uma vida melhor, e eate encontra sim, mas desse jeito.
Beijos querida.
Cam

Anunciação disse...

Uia,que bom que vc voltou.A Luma tem razão.Quanto ao fato de evitar engravidar ou planejar a familia,é uma luta em q tenho tentado me engajar sempre e é realmente dificil por vários fatores,inclusive a educação dos homens como corresponsáveis,entre outros.E a ausência dos gestores educacionais é notória e,de novo,a educação política do povo é importante na exigência de que seus direitos sejam atendidos.Um beijo.