quarta-feira, 26 de agosto de 2009

E OS SENTIMENTOS?

Esses dias lía essa matéria, e confesso fiquei estarrecida.
Embora já soubesse disso, mas quando li, não pude deixar de pensar, em quanto as pessoas podem e conseguem ser tão cruéis, quando isto vem de encontro aos seus interesses.
Incrível imaginar e ver que uma mãe, pode usar seu filho, para atingir seus objetivos, ou seja, sua vingança.
Em nenhum momento se pensa no bem estar da criança, não se pensa nos sentimentos das crianças, aliás, para este tipo de mãe, criança não tem sentimento, não tem "querer".
A matéria é muito boa, mostra bem os dois lados da moeda.
A íntegra está aqui:



Um crime silencioso acontece dentro dos lares brasileiros. Frequente, porém sutil, muitas vezes está disfarçado de amor e cuidados. Na maior parte das vezes, é cometido por mães, seres santificados pela sociedade e pela Justiça, mas que podem se transformar em criaturas levianas e egoístas quando se transforam em…ex-mulheres. Quem não tem um familiar ou amigo que está sendo afastado de seu filho após a separação? Quem não ouviu as histórias mais escabrosas sobre pais divorciados que ganham cabelos brancos brigando na Justiça por um pernoite com suas crianças? Quem não sentou na mesa de bar com um amigo que luta para poder ser um pai de verdade e ficou até de madrugada ouvindo seu desabafo de homem amargo, confuso e, principalmente, impotente?

Eu coleciono tais histórias entre meus amigos. Um deles passou o último aniversário do filho rodando em todos os endereços em que ele poderia estar - o da mãe, dos avós maternos, de parentes. Em vão. Ninguém atendeu o interfone ou lhe deu informação decente. Não conseguiu dizer parabéns. Outro briga na Justiça há um ano para conseguir um fim de semana inteiro. O filho, de dois, não sabe mais o que é dormir com o pai. Um teceiro batalha para conseguir atenção da filha adolescente, que se sente traída e abandonada, seguindo a cartilha da mãe.

Esses homens devem alguma coisa a alguém? Não. Trabalham, pagam suas contas - e as do filho! Deles foi cobrada participação quando eram casados. Trocaram fraldas, passaram noites acordados, seguindo a cartilha do novo pai. Por que agora se transformaram em cidadãos sem direitos aos olhos das ex-mulheres? A palavra é uma só: vingança. Quantos pais ouviram de seus fihos: não quero ir com você? Verdade? Ou apenas um conflito de fidelidade da criança, diante do comportamento e das posições da mãe?

Continua....

Um comentário:

Vivian Sbrussi disse...

)'(  OIEEE!
(__) 
>\< PASSEI POR AQUI!

"SE EXISTE UMA ARTE DO BEM FALAR , EXISTE UMA ARTE DO BEM OUVIR".

Ninguém é tão forte que nunca tenha chorado;
Ninguém é tão fraco que nunca tenha vencido;
Ninguém é tão insuficiente para nunca ser ajudado;
Ninguém é tão inválido que nunca tenha contribuído;
Ninguém é tão sábio que nunca tenha errado;
Ninguém é tão corajoso que nunca teve medo;
Ninguém é tão medroso que nunca teve coragem;
Ninguém é tão alguém que nunca precisou de alguém.

"O AMOR VERDADEIRO COMEÇA QUANDO NENHUMA RETRIBUIÇÃO
SE ESPERA".

(autor desconhecido)
          ♥  ♥
            ♥
         ♥ ♥ ♥
           ♥ ♥
          ♥ ♥
       ♥ ♥
          ♥ ♥
        ♥
    ♥ ♥  ♥
    ♥ ♥
     ♥ ♥
     ♥ ♥  ♥
   ♥ ♥ღViViAn\\(^_^)// Sbrussi
       ♥
    ♥ ♥  ♥
    ♥ ♥
      ♥
    ♥
      ♥ =D