terça-feira, 27 de novembro de 2007

MUITA AMIZADE

No post anterior ao da blogagem coletiva sobre a dengue, eu falei aqui que falaria de um exemplo de amizade que pode ser fiel até a morte. Está acima de tudo. Tudo que é importante, e pode ser muito importante vem depois da amizade de Célia e Vânia.
As duas eram amigas desde muito cedo, estudaram juntas, todas as descoberta da adolescência e juventude fizeram juntas.
Veio a fase dos namorados,e, claro, tudo ocorreu como tinha que ser.
Célia namorou Ademar por três anos, e se casou, estão casados há 14 anos.
Vânia teve alguns namorados, casou-se, separou-se, viveu com mais um namorado, e agora está só de novo.
Desde o tempo que eram namorados, Vânia tornou-se também amiga de Ademar, mas sentia que com o namoro sério dos dois, ela perdia um pouco a amiga.
Após o casamento de Cèlia e Ademar, já na primeira semana, lá estava Vânia, cobrando sua parte de atenção e querendo conversar.
Ademar acabava indo dormir e deixando as duas conversando.
Não passava nenhuma semana, sem que ela aparecesse uma ou duas vezes.
Algum tempo depois Vânia se casou, mudou-se para o Paraná, passou lá quatro anos, e nesse período ficaram separadas.
A vida do casal seguia normalmente. Davam-se muito bem, um gostava de estar com o outro, resolviam seus problemas domésticos e não tinham maiores problemas.
Vânia ao separar-se do marido, volta a viver com os pais, e retoma sua amizade com Célia, pelo menos duas vezes por semana estão juntas.
Namora, vai viver com o namorado por algum tempo, e os encontros tornam-se assim mais raros, mas ainda existem.
Vem a separação, e Vânia precisa da amiga.
Precisa falar e falar, está sofrendo.
Célia liga do trabalho para Ademar e avisa que vai sair com Vânia, pois a amiga precisa dela.
Vão tomar um choppinho e conversar.
Ademar sugere encontrá-las no barzinho um pouco mais tarde, quando sair do trabalho, mas Célia insiste que quer ir sózinha. Vânia precisa conversar, e vai sentir-se mais à vontade apenas com ela.
E avisa, não me espere, coma alguma coisa e pode ir dormir, quando Vânia começa falar, não tem hora prá esse papo acabar.
Ademar até pensou em dizer a ela que estava indisposto, sentindo uma forte gripe lhe rodeando, mas sabia que de nada adiantaria, Célia, jamais deixaria de encontrar a amiga, de tomar esse choppinho com Vânia, de bom humor, a não ser que fosse algo grave.
Ele sabia, que havia coisas importantes na vida da mulher, ele mesmo era importante prá ela, mas sempre depois de Vânia.
Por ela, Célia brigava, arrumava desafetos, tudo para defender a amiga.
Quantas vezes antes isso já havia acontecido, ele ia dormir e nem sabia a hora que a esposa ia se juntar a ele, sempre porque Vânia precisava dela.
Em qualquer lugar, em qualquer situação, muita coisa era importante prá ela. Depois de Vânia.

23 comentários:

Erika disse...

isso não é amizade, é simbiose.. afe.. esta vania não tem vida propria?

beijo

Rosamaria disse...

Eu não sei se estou certa ou não, mas não deixo amiga nenhuma pela companhia do meu marido. Claro que elas têm vez, mas ele é prioridade. Será que é simbiose, como diz a Erika? hehehe

E o Valter está bem?

Bjs, Aninha.

DO disse...

Acho que esta amizade passou bem dos limites,Ana,heheheh
beijos!!!

FINA FLOR disse...

eu não queria estar na pele do Ademar, rs*.....

beijos, flor e boa semana

MM.

Márcia(clarinha) disse...

Isso né amizade não, é posse, será que a Vânia largaria tudo pela Célia? Hummm, sei não...isso já é doença.
dias lindos Aninha querida
beijos

Taty disse...

Sei lá, viu... Mas isso parece mesmo mais simbiose do q amizade, essa dependência toda deixou de ser saudável.
Aninha, respondi seu e-mail, viu?
Um beijo e ótima semana!!

denise disse...

O contrário também acontece, até mais freqüentemente: homens que deixam suas mulheres para estar com amigos. E nem precisa ser o melhor amigo. E se acontece assim é porque as duas querem.
tudo de bom para você, minha linda!
beijo, menina

Sheherazade disse...

Oi, Aninha!
Estou de volta, mas ainda não tive tempo de postar nada, tantas foram as correspondências e visitas que recebí durante a minha forçada ausência. Fiquei muito feliz por ser incluída no rol dos teus amigos e, oportunamente, falarei sobre isso lá no meu blog, ok?
Muito grata pelo teu carinho.

Beijão!

Aninha Pontes disse...

Érica:
Ela não acha nem que atrapalha, não sente isso. Acha muito normal.
Beijo

Rosa:
Sinceramente não sei o que é, mas também sou como vc, tenho minhas amigas, tinha antes de me casar, mas hoje o meu bem está acima de tudo.
Há momentos para as amigas, mas desde que eu não tenha que excluí-lo.
Ele prá mim está acima de qualquer pessoa, está em primeiríssimo lugar. Onde eu não posso leva-lo, também não vou.
Beijo

DO:
Só elas não percebem.
Beijos

Monica:
Situação chata a dele né/
Beijos

Marcinha:
Também acho que não, mas ela quer continuar alimentando essa possessão da amiga.
Beijinhos

Tati:
É assim mesmo, todo mundo estranha né?
Já vi seu email e respondi também.
Beijos

Denise:
Você está certíssima, eles deixam mesmo, e acham isso a coisa mais normal do mundo.
Não conseguem se desvencilhar do seu estado de solteiros, nem se preocupam com o que sentem suas mulheres.
Beijos

Regina:
Bom tê-la de volta.
Não se preocupe, faça as coisas a seu tempo.
Um beijo

Patty disse...

Aninha,
Acho que a amizade tem q ter certos limites e essas duas aí, sei não....

Um beijo querida e ótimo dia!!!

luma disse...

Sempre só as duas? Hum...
Eta maldade! Beijus

Blog do Beagle disse...

Para pensar no assunto. Minha~Mãe dizia que não prestava amizade de mulher solteira com mulher casada. Os interesses são outros e a disponibilidade, tb. Bjkª. Elza

Cristiane disse...

Aninha querida, vim rapidinho te deixar um beijo e agradecer pelo comentário tão carinhoso que você deixou lá no blog do Mário, "obrigada"!

Com carinho, Cris

Luci Lacey disse...

Aninha

Acho que certas atitudes nao se pede e nao se faz a um amigo, justamente por ele ser amigo.

Ja passei por situacao assim, e embora nasci e aprendi em familia, ajudar, doar... me atrapalhou um pouco, a assiduidade e cobranca de uma amiga.

Uso muito meu desconfiometro com as pessoas, e se uma amiga tambem e casada, nao vou fazer com ela o que nao gostaria que fizesse comigo.

E preciso bom senso.

E aqui em casa, como ja aconteceu ... o Peter disse:

Esta mulher nao tem o que fazer nao, so te traz problemas.

E preciso zelo com a amizade, mas com o casamento tambem.

Beijinhos

Francy&Carlos disse...

Louvo a amizade das duas, entretanto, não deixo de ficar com o meu marido para estar com as amigas, ficamos todos juntos e é muito mais saudável.
beijos querida,

Márcia disse...

Dia lindo querida Aninha!!
beijos

Maria Augusta disse...

Tenho uma amiga que não entende porque passo meu marido antes dela, acha que é porque ele me obriga, apesar de que já expliquei que meu marido é minha prioridade, minha escolha. Os relacionamentos humanos são complicados mesmo.
Beijão, querida.

Lord Broken Pottery disse...

Aninha,
Li os comentários e tenho opinião completamente diferente. Casamento para mim não é posse. O fato de existir uma relação à dois não exclui as outras. É sempre bom lembrar que o coração é muito grande, deve haver sempre lugar sobrando. Se as moças têm essa amizade antiga e importante, é fundamental que o marido compreenda e respeite essa relação. É uma questão de maturidade e entendimento. Qualquer coisa diferente disso são ciúmes e infantilidade.
Beijo grande

adelaide amorim disse...

Acho que o Lord tem razão, mas é sempre bom levar em conta que cada amizade é diferente das outras e que cada caso é um caso.
Um fim de semana muito legal pra vocês, Aninha. Beijo.

ApoioFraterno WP disse...

Complicado esse tipo de amizade, não? Bom, cada cabeça sua sentença...rs.

Um bom fim de semana, minha querida amiga.

luma disse...

Anninha!! Bom fim de semana!! Beijus

Aninha Pontes disse...

Patty:
Minha querida, concordo com você, tudo na medida certa.
Beijos

Luma:
Nem é pela maldade, mas que tem exagero, isso tem.
Beijos

Elza:
Sua mãe era sábia. A vida muda, as coisas mudam, as prioridades mudam.
Beijos

Cris meu bem:
Bom te-la por aqui.
Adoro vocês dois.
Beijos.

Luci:
Você tem toda razão, há certas coisas que não se pde a um amigo, agora o amigo, é que deve saber o que é importante prá ele.
Beijos.

Francy querida, penso como você, porque não estarem todos juntos, uma vez que todos se dão bem?
Por que excluir alguém?
Beijos.

Beijos Marcinha.

Maria Augusta:
Você tem razão, relacionamentos são mesmo complicados, mas será que não é hora dessa sua amiga, ou da Vânia, procurar alguém com quem se preocupar e se interessar e deixar de achar que a amiga é propriedade sua?
beijos querida.

Lord meu querido amigo:
Concordo com você, que casamento não é e não pode ser posse, assim como a amizade não é.
Veja bem, que no caso contado, quem se apodera do outro, é exatamente a amiga, e não o marido.
Ele só queria estar junto, uma vez que acha importante estar ao lado da mulher e tem também amizade pela amiga.
Foi ela quem o excluiu, e foi a esposa que aceitou e colocou o marido em segundo plano, em função da exigência da amiga.
O relacionamento dos dois não excluiu a amizade antiga das duas, foram elas que mostraram a ele que chegou depois e assim permaneceria, sempre depois.
Um beijo.

Adelaide:
Você foi ao ponto, amizade, cada caso é um caso, neste caso, acho meio doentio, porque prá mim, o meu marido é o meu maior amigo, é com ele que eu conto sempre, é ele que está ao meu lado em qualquer situação.
Onde não cabe meu marido e meus filhos, o ambiente me sufoca, é pequeno prá mim, não me cabe também.
Beijos e bom final de semana prá vc também.

Mário querido:
Muito complicado, muita dedicação, sem importar com mais ninguém.
Beijos.

Luma querida:
Bom final de semana prá você também.
Beijos.

Sonho Meu disse...

Aí eu considero uma relacao doente.
Eu to com a Rosa, primeiro o marido a minha familia e depois a amiguinha. E isso nao quer dizer que eu nao a ame...muito pelo contrario. Tenho uma amizade de 30 anos com minha amiga Lucia(Brasilia), se ela precisa de mim e vice versa tamos de plantato. Mas deixar o maridinho a deriva...nao concordo.
bjos,
me