sexta-feira, 26 de junho de 2009

BRASIL. PARAÍSO OU O INFERNO?

Isso depende do lado que você está.

Enquanto o país se debulha em descobertas de falcatruas, que não vão dar em absolutamente nada, como outros anteriores.
Por exemplo: Quem ainda ouve falar em mensalão? Quem ainda ouve falar em sujeiras de José Dirceu?
Pois agora é a vez de Sarney e sua trupe.

Enquanto isso....
Nós simples mortais, morremos à míngua, sem um serviço de saúde digno.
Não temos o direito de ficar doentes, pois já sentimos a sensação de estar esmolando algo, esmolando cuidados com nossa saúde.

No final de semana que passou, meu filho Pablo, muito ruim com as crises de asma, e sofrendo por conta do frio e poluição em São Paulo, veio para casa.
Aqui o ar que se respira é muito melhor, e evitando parte da friagem que é obrigado a pegar lá, por conta do trabalho, ficaria melhor.

Na segnda feira, pela manhã, como ainda estava bem ruim, fazendo muitas inalações, tentei uma consulta com o "dito" médico da família no postinho do bairro.
Pensamos em pedir um atestado médico à ele, para que pudesse ficar uma semana por aqui, e trata-se. Eu cuidaria disso.
Não consegui, a consulta foi marcada para o dia 24/07.

Ele foi até o Pronto socorro da cidade, para tentar lá também. Não conseguiu ser atendido, a fila de pacientes dobrava a esquina, e ele se sentindo mal, só querendo cama, voltou sem atendimento.

Dormiu e subiu na terça pela manhã. Precisava trabalhar, embora a sua função, não seja das melhores para quem está em crise.
O esforço físico, mais o acúmulo de pó, só piora.

Bem, foi a um hospital lá na capital, e pediu ao médico, que desse a ele um afastamento de uma semana, para que pudesse se cuidar melhor, evitando o frio.

Inútil.

O médico disse a ele, que tratasse de se acostumar com sua doença, que esta é para a vida toda.
Iria ter de conviver com ela para sempre.
Deu um atestado de comparecimento, liberando-o para o trabalho após as 13hs do mesmo dia.

Você olha para uma pessoa, que sente cansaço até em respirar, isso quando consegue respirar.
Todo o corpo mostra o estado em que se encontra. A medicação forte dá tremedeira, a tosse que não cessa, e o "senhor" doutor, diz que não pode liberar do trabalho.

Só para quem nos momentos de necessidade passa por esses locais de atendimento, tem noção da miséria que a população sofre.

Um pneumologista aqui, é algo que marca consulta para dois anos adiante, isso quando consegue.
Tentei dias atrás marcar uma consulta com um reumatologista para o Érick. A mesma seria para daqui a cinco meses. Desisti.

Mas os senhores ministros e todos os comparsas, tem atendimento imediato no Sírio Libanês, ou no Albert Einstein.
Dessa forma, a saúde no país beira a perfeição.

E, claro, o país pode ser o céu ou o inferno, depende de que lado você está.

8 comentários:

Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Aninha querida acho isso uma tristeza!!! So podia ser no Brasil mesmo neh?!?!
Melhoras para seu filhote e que ele possa contar com Deus sempre!!!

Bjus

Lúcia Soares disse...

Oi, Aninha. Li um comentário seu lá no Mãe Gaia e vim ler seu blog.
Eu tenho um filho chamado Erick, mas já é um rapagão de 28 anos.
Sinto muito pela situação do seu filho Pablo. A saúde pública do Brasil é desumana. Nem vale a pena falar mais dos políticos,as coisas estão tomando proporções gigantescas e vai caber é ao povo mesmo uma revolução qualquer.
Melhoras pro seu filho.

Anunciação disse...

É,Aninha,lamentável.Principalmente pq dar atestado para o paciente nada tem a ver com o sistema de saúde;é ruindade,insensibilidade mesmo do médico;existem muitas doenças crônicas mas nas crises,se é necessário,é decisão estritamente médica fornecer um atestado de até 15 dias,dependendo da gravidade,para que o paciente tenha um tempo de repouso para a medicação e recuperação.Só posso dizer:que pena,pois me sinto impotente diante de tudo isso.

Conceição Duarte disse...

Aninha.
Muito triste e real sua narrativa sobre o problema de saúde que enfrentamos na maioria da população, e ainda assim , nosso presidente tem aprovação de 80% do povo que com o bolsa família se sente agraciado e feliz da mesma forma que nós quando levávamos nossos filhos no Zoológico e jogávamos para os macacaos e outros bichos o famosos amendoim... Eles esperam felizes por isso, e depois nos viramos as costas e vamos comer gostoso em casa... A bolsa família é isso mesmo, nada mais. Mas o brasileiro merece tudo isso.
Nossos filhos mereciam muio mais. Quem sabe o Sírio Libanês mesmo, que para ter direito a ele, temos que pagar por um plano de saúde absurdo e com isso abrirmos mãos de outras tantas coisas....
Enfim, o govêrno é desclassificado e arreganhado na falta de vergonha e ética com uma Nação que poderia ser e ter o Brasil

Desejo sorte ao seu filho e muita saúde.

Um beijo grande, CON

Rosamaria disse...

Oi, Aninha, como está o Pablo?

Então acertaste os pés-de-moleque? Ficam gostosos, né? Ontem fiz ambrosia, mas agora falando no pé-de-moleque me deu vontade de comer.
Boa semana pra vocês.
Bjim.

Georgia disse...

Aninha, em se tratando de política no Brasil é isso mesmo, nada acontece.

Uma tristeza só o caso que vc narra sobre a doenca do seu filho e como o meio de saúde trata os seus doentes.
É de partir o coracao ver o nosso filho nessa situacao e nao ter como ajudar...um absurdo.

É triste, mas Brasil tem jeito nao, Ana. Eu nao acredito que isso vá mudar.

Um grande beijo e melhoras para o filhote.

Conceição Duarte disse...

bjus, esse afinal é o seu blog novo?
CON

Adelino disse...

Ana, espero que o seu filho Pablo tenha se recuperado.
Você disse muito bem: somos dois países diferentes chamados PARAÍSO e INFERNO. A classe política aparentemente vive no Paraíso. E temos um presidente que tem uma popularidade enorme graças a medidas demagógicas, falando fácil, coisas sem sentido, fazendo comício por onde passa. Ironiza a todos que vão contra as suas idéias. Isso não é bom. Uma pena, mas acompanho política desde criança, poucos políticos se salvam. Este país não tem mais jeito. Sempre foi o país do futuro. Que nunca chega. Só regride. Pode crer.
Beijos.